A Vida Sentimental de Nina

O texto desta sexta foi escrito por mim, Paula Vieira, e tem como inspiração uma breve divagação de uma familiar durante a ida ao supermercado.

CAP8. A Vida Sentimental de Nina

Nina tem uma forte ligação com os seus sonhos. Não com suas fantasias, idealizações ou esperanças, mas com as imagens que se formam todas a vez em que cai nos braços de Morfeu. Alguns sonhos em particular são recorrentes e assustadoramente confortantes e emocionantes. Por exemplo, quando sonha que está em casa, Nina sempre sonha que está na casa onde passou boa parte da sua adolescência. Não sabe explicar por qual razão isso acontece, mas sabe que sempre está lá. Quando ladrões tentam invadir a propriedade, quando cai uma tempestade apocalíptica, quando está voltando do trabalho ou até mesmo quando está se vestindo para sair com as amigas, ela está sempre lá. A vida era cheia de problemas, mas também era cheia de expectativas de dias melhores na época em que viveu naquela casa. Ela nunca esteve em um lugar tão familiar. Conhece cada centímetro daquelas paredes, cada dobradiça daquelas janelas… O mais curioso é que ela sempre quis sair de lá. Tinha medo de não alcançar a independência, de parar no tempo e de não ser feliz. Agora, aquele o mesmo lugar do qual se esforçou tanto para fugir ela mesma persegue em seu subconsciente.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s