Fábula

Eu gosto muito de ler fábulas. Não resisto à uma coletânea. Porém, até um dia desses, eu nunca havia me perguntado o quê faz de um texto uma fábula. Então, eu me deparei com a apresentação do livro Esopo – fábulas completas. O que é uma Fábula? Narrativa breve, normalmente em prosa, muitas vezes protagonizada por animais falantes (embora não exclusivamente) e selada por uma moral, assim define Adriane da Silva Duarte. Em Esopo e a tradição da fábula, a professora associada da USP na área de Língua e Literatura Grega não introduz apenas a obra referida anteriormente. Ela reflete sobre a construção da fábula e as formas como composições com tais características foram percebidas ao longo do tempo. Por exemplo, segundo a pesquisadora, hoje, as fábulas são tidas como manifestações voltadas para o público infanto-juvenil em razão da sua brevidade, do seu estilo simples e do seu fundo moral. Porém, no século V A.C, era esperado que cidadãos gregos bem instruídos as decorassem e contassem em festas. Isso porque, na antiguidade, as fábulas eram importantes meios para a transmissão dos valores de grupo. Além disso, vale destacar que existe mais de uma versão de uma mesma fábula, o que se dá em decorrência da tentação em reescrever-las para ilustrar novas ideias. Assim, mais uma vez, a fábula é um retrato da sociedade que a produziu e consumiu. Enfim, as fábulas são atemporais por dois motivos. Nem sempre a moral está explicita e a sua interpretação depende das circunstâncias em que se dá a comunicação. É claro que a estudiosa traz muito outros fatos e questões à tona, mas, afim de demonstrar a contemporaneidade das fábulas e instigar um pouco a curiosidade dos que não conhecem muitas, deixo vocês com uma fábula atribuída a Esopo. No entanto, eu não vou copiar a moral. O sentido ficará por conta do leitor.

 

O lobo e o pastor

Um lobo seguia um rebanho de ovelhas sem molestá-las. O pastor, a princípio, tomava tento nele, seu inimigo, e, temeroso, vigiava-o de perto. Mas como ele ia seguindo ao seu lado, sem fazer nada de errado ou insinuar qualquer ameaça de roubo, o pastor entendeu que o lobo era antes um protetor do que um embusteiro e, quando precisou ia à cidade, deixou ele com as ovelhas e partiu. Então, o lobo aproveitou a chance e dizimou a maioria. Quando o pastor retornou e viu o rebanho dizimado, disse: “Mas é bem feito para mim! Por que fui confiar ovelhas a um lobo?”.

Fontes:
Ilustração – Eduardo Berliner
Texto – Páginas: 07-25 e 339. Esopo – fábulas completas. Cosac Naify, 2015.
Tradução – Maria Celeste Consolin Dezotti
Apresentação – Adriane da Silva Duarte (Adriane Duarte)

Anúncios

2 comentários sobre “Fábula

  1. Muito legal Ana, adorei saber sobre o significado das fábulas, e sobre as mensagens de moral atribuídas a elas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s